quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Tricô & Memória

Tricô e leitura podem atrasar perda de memória

Cientista etíope analisa 1.321 idosos norte-americanos e descobre que atividades mentais reduzem em até 50% o risco de demência

Rodrigo Craveiro - Da equipe do Correio

Quer ter uma boa memória na terceira idade?

Então, leia muitos livros, faça tricô, gaste um tempo diário diante do computador, mas diminua as horas em frente à televisão. As sugestões são de Yonas Geda, neuropsiquiatra da Mayo Clinic (em Minnesota, Estados Unidos), e fazem parte das conclusões de um estudo que será apresentado no fim de abril durante o 61º Encontro Anual da Academia de Neurologia dos Estados Unidos, em Seattle.

A pesquisa revela que certas atividades mentais podem atrasar ou mesmo impedir a perda de memória. Geda escolheu aleatoriamente 1.321 idosos em Rochester, sede da clínica. Todos os voluntários tinham entre 70 e 89 anos. “Pelo menos 189 apresentavam deterioração cognitiva leve (MCI, pela sigla em inglês) ou perda de memória. As 1.124 pessoas restantes não sofriam de problemas de memória”, afirmou o etíope ao Correio, por e-mail. “Nós dividimos os dois grupos e, de cada participante, coletamos informações por meio de um questionário sobre atividades intelectuais e cognitivas”, acrescentou. A MCI é considerado um estado transitório entre o envelhecimento normal e os sintomas mais precoces do mal de Alzheimer.

Questionário

Tanto os voluntários acometidos de perda de memória como os pacientes sem qualquer sintoma de demência responderam a questões sobre suas atividades diárias no decorrer do último ano e na maturidade, quando tinham entre 50 e 65 anos de idade.

O passo seguinte da pesquisa foi realizar um de controle de caso. “Percebemos que ler livros, tricotar e usar o computador são atividades associadas a um risco crescente de problemas de memória”, disse Geda.

Apesar de reconhecer esse benefício, o especialista etíope alertou: “Essa associação necessariamente não significa uma relação causa-efeito”.

Os cientistas da Mayo Clinic descobriram que ler livros, jogar, manipular computadores e realizar algum tipo de arte, inclusive tricô, pode levar a uma redução de 30% a 50% no risco de desenvolvimento da deterioração cognitiva leve. A pesquisa constatou ainda que os indivíduos adeptos de atividades sociais e da leitura de revistas, durante a idade adulta, tiveram 40% menos probabilidades de apresentar MCI, em comparação com os voluntários que jamais se engajaram nessas práticas.

Matéria do jornal Correio Braziliense, 19.02.09

7 comentários:

Elena disse...

Falou e disse amiga , vamos agitar então , acho que estamos no caminho certo! BJU!

Renata S. P. disse...

Bem interessante!

Beijos!

PELA VIDA NA ARTE disse...

Adorei saber, assim posso continuar tricotando à vontade rsrss....beijos.

ღ.♥.ღ Michelle ღ.♥.ღ disse...

Muito interessante...bom saber!!!

disse...

Eu não vou perder a memória nunca!! serei eternamente jovem hohoho livros+tricôs, existe coisa melhor??
adorei!!
bjinhos

Clarice Fernandes disse...

Livros+ tricôs+ blogar= SAÚDE MENTAL.
Tá ótimo, só precisa de um pouquinho de exercício físico pra não atrofiar a coluna e pronto!!!!
Vamos aos cem anos fácil, fácil!!!!RSRSRSR

Anônimo disse...

Oh, Amiga, infelizmente não consegui copiar a matéria está bloqueada, mesmo assim, agradeço o carinho, bjs no coração, ah, fiquei sensibilizada com o caderno de receita do babador, como é bom ter mãe, eu aprendi fazer sapatinho com minha mãe, hoje ela está com 83 anos, é o meu bebê, ah saudades, voce me lembrou tantas coisas.bjs